Necessidades educacionais dos profissionais da Estratégia Saúde da Família (ESF): possibilidades de Educação em Saúde no município de Fortaleza (CE)

  • Tatiana Monteiro Fiúza Universidade Federal do Ceará (UFC).
  • Marco Túlio Aguiar Mourão Ribeiro Universidade Federal do Ceará (UFC).
  • Kilma Wanderley Lopes Gomes Universidade Federal do Ceará (UFC).
  • Mayrá Lobato Pequeno Universidade Federal do Ceará (UFC).
  • Ivana Cristina de Holanda Cunha Barreto Universidade Federal do Ceará (UFC), Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/CE).
  • Alcides Silva de Miranda Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).
  • Pedro Renan Santos de Oliveira Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Renan Magalhães Montenegro Junior Universidade Federal do Ceará (UFC).
Palavras-chave: Educação em Saúde, Educação Continuada, Estratégia Saúde da Família, Atenção Primária à Saúde, Necessidades e Demandas de Serviços de Saúde

Resumo

As reformas curriculares e a mudança do perfil na formação de profissionais da saúde apresentam muitos desafios. O objetivo deste estudo foi caracterizar as necessidades educacionais em saúde percebidas e representadas pelos profissionais de nível superior que atuam na Estratégia Saúde da Família (ESF) do município de Fortaleza/CE, recém-aprovados em concurso de âmbito municipal. Trata-se de um estudo descritivo com duas etapas. Um estudo transversal em 2006 com aplicação de inquérito para aferição das necessidades de Educação em Saúde, e a segunda etapa em 2011 com a análise documental sobre as ações realizadas para educação permanente dos profissionais da rede municipal de saúde pela Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza. O instrumento utilizado para coleta dos dados foi um questionário semiestruturado, aplicado a profissionais médicos, enfermeiros e odontólogos. Do universo de 900 profissionais recém-concursados, nossa amostra de conveniência contou com 375 respondentes. Observou-se, no estudo, que, quanto ao desejo de realização de pós-graduação, o mestrado profissional, a residência em medicina de família e comunidade, a residência multiprofissional em saúde da família, que são modalidades de pós-graduação que ocorrem em serviço, são necessidades manifestadas por significativa parte dos profissionais. Por outro lado, profissionais também assinalaram a necessidade de cursos de 40 horas de forma pontual. A educação permanente é apontada pela literatura e pelo atual estudo como um caminho para melhoria na qualidade da ESF, por centrar nos processos de trabalho a construção do processo educativo. Para a educação em Saúde gerar efetivos processos de reflexão-ação-reflexão no cotidiano de trabalho, deve-se promover a ligação política com a mudança da formação de perfil profissional e, para isso, colocar em evidência as necessidades educacionais dos profissionais é fundamental.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Tatiana Monteiro Fiúza, Universidade Federal do Ceará (UFC).
Possui graduação em MEDICINA pela Universidade Federal de Minas Gerais (2000). Atualmente exerce a preceptoria de medicina de família e comunidade e coordenação regional do Programa de RESIDENCIA DE MEDICINA DE FAMÍLA E COMUNIDADE do Sistema Municipal de Saúde Escola do Município de Fortaleza. Título de Especialista em Medicina de Famíla e Comunidade e especialização latu senso em Hebiatria. Mestre em Saúde Pública pela Universidade Federal do Ceará. Cursando o doutorado em saúde coletiva na Universidade Federal do Ceará.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Marco Túlio Aguiar Mourão Ribeiro, Universidade Federal do Ceará (UFC).
Possui graduação em medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (2000). Atualmente exerce a preceptoria de medicina de família e comunidade da Residencia de Medicina de Famíla e Comunidade do município de Fortaleza. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE e especialização em Geriatria. Mestre em Saúde Pública pela Universidade federal do Ceará (UFC). Diretor de Pós-Graduação da Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/CE).

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Kilma Wanderley Lopes Gomes, Universidade Federal do Ceará (UFC).
Mestre em Saúde Pública, Especialista em Medicina de Família e Comunidade, Vice- coordenadora do Programa de residência em Medicina de Família e Comunidade da Secretaria da Saúde de Fortaleza. Doutoranda em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual do Ceará.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Mayrá Lobato Pequeno, Universidade Federal do Ceará (UFC).

Psicóloga Comunitária pela UFC. Possui Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade pelo Sistema Municipal de Saúde Escola/Fortaleza/CE. Atua como precpetora de território na Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade do SMSE Fortaleza. Mestranda em Saúde Pública pela Universidade Federal do Ceará (UFC)

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Ivana Cristina de Holanda Cunha Barreto, Universidade Federal do Ceará (UFC), Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/CE).

MÉDICA, DOUTORA EM MEDICINA NA ÁREA DE PEDIATRIA PELA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO EM 2006. ATUALMENTE É SUPERINTENDENTE DA ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO CEARÁPOSSUI ESTÁGIO PÓS-DOCTOR NO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO NA UNIVERSIDADE DE MONTREAL NO CANADÁ. MESTRE EM SAÚDE PÚBLICA PELA UFC. . PROFESSORA ADJUNTA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ, EXERCENDO SUAS ATIVIDADES NA FACULDADE DE MEDICINA DE SOBRAL, COMO DOCENTE NO MESTRADO ACADÊMICO EM SAÚDE DA FAMÍLIA DA UFC E DO MODULO DE ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE. É MEMBRO TAMBÉM DO QUADRO PERMANENTE DE DOCENTES DO MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA DA UFC

Alcides Silva de Miranda, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).
Medico de Família e Comunidade (Programa de Residência Médica do SSC-GHC/RS), Mestrado em Saúde Pública (UECE) e Doutorado em Saúde Coletiva (ISC-UFBA). Professor Adjunto (nível 2) do Departamento de Assistência e Orientação Profissional (DAOP), Curso de Bacharelado em Saúde Coletiva (EEnF/UFRGS) e Professor Colaborador dos Cursos de Mestrado em Saúde Pública (UFC) e Doutorado em Saúde Coletiva (UFC/UECE). Atua no campo da Saúde Coletiva, com ênfase nos temas sobre Políticas, Planejamento, Gestão e Atenção Básica de Saúde. Atualmente é representante titular do CEBES no Conselho Nacional de Saúde.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Pedro Renan Santos de Oliveira, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Psicólogo, especialista com Residência em Saúde da Família e Comunidade, Mestrando em Saúde da Família – UFC. Bolsista CAPES. Preceptor da Residência em Saúde da Família e Comunidade – SMSE-Fortaleza/UECE.

Referências

Carvalho YM, Ceccim RB. Formação e educação em saúde. In: Campos GWS, Minayo MCS, Akerman M, Drumond Junior M, Carvalho YM. Tratado de Saúde Coletiva. Rio de Janeiro: Hucitec, FIOCRUZ; 2006.

Alves VS. Um modelo de educação em saúde para o Programa de Saúde da Família: pela integralidade da atenção e reorientação do modelo assistência. Interface: Comunic Saúde Educ. 2005; 9(16): 39-52. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832005000100004

Ceccim RB. Educação permanente em saúde: descentralização e disseminação de capacidade pedagógica em saúde. Cienc Saude Colet. 2005; 10(4): 975-986. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232005000400020

Bizzo MLG. Difusão científica, comunicação e saúde. Cad Saúde Pública. 2002; 18(1): 307-314. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2002000100031

Marco MA. Do modelo biomédico ao modelo biopsicossocial: um projeto de educação permanente. Rev Bras Educ Med. 2006; 30(1): 60-72. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022006000100010

Barreto ICHC, Andrade LOM, Loiola F, Paula JB, Miranda AS, Goya N. A educação permanente e a construção de Sistemas Municipais de Saúde-Escola: o caso de Fortaleza (CE). Divulg Saúde Debate. 2006; 34: 31-46.

Silva KL, Sena RR. Integralidade do cuidado na saúde: indicações a partir da formação do enfermeiro. Rev Esc Enferm USP. 2008; 42(1): 48-56. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342008000100007

Bevilacqua RG, Sampaio SAP. As Especializações, histórico e projeções. In: Negri B, Faria R, Viana ALD. Recursos humanos em saúde: Política, desenvolvimento e mercado de trabalho. Campinas: Unicamp; 2002.

Campos FE, Aguiar RAT. Atenção Básica e reforma curricular. In: Negri B, Faria R, Viana ALD. Recursos humanos em saúde: Política, desenvolvimento e mercado de trabalho. São Paulo: NEPP; 2002.

Morita MC, Kriger L. Mudanças nos cursos de Odontologia e a interação com o SUS. Rev ABENO. 2003; 4(1): 17-21.

Feuerwerker LCM, Almeida MJ. Integração ensino/serviço: a Experiência da Rede Unida. In: Negri B, Faria R, Viana ALD. Recursos humanos em saúde: Política, desenvolvimento e Mercado de Trabalho. Campinas: Unicamp; 2002.

Candeias NMF. Conceitos de educação e de promoção em saúde:mudanças individuais e mudanças organizacionais. Rev Saude Publica. 1997; 31(2). http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101997000200016

Gil CRR, Cerveira MAC, Torres ZF. Pólos de Capacitação em Saúde da Família: Alternativas de desenvolvimento de recursos humanos para Atenção Básica. In: Negri B, Faria R, Viana ALD. Recursos humanos em saúde: Política,desenvolvimento e Mercado de Trabalho. Campinas: Unicamp; 2002.

Souza JF. Atualidade de Paulo Freire: contribuição ao debate sobre a educação na diversidade cultural. São Paulo: Cortez; 2002.

Faria R, Viana ALD. Experiências inovadoras de capacitação de pessoal para Atenção Básica no Brasil: Balanço, limites e possibilidades dos Pólos. In: Negri B, Faria R, Viana ALD. Recursos humanos em saúde: política, desenvolvimento e mercado de trabalho. São Paulo: NEPP; 2002.

Paim J, Almeida Filho N. A Crise da Saúde pública e a Utopia da Saúde Coletiva. Bahia: Casa da Qualidade Editora; 2000.

Ceccim RB, Feuerwerker LCM. O quadrilátero da formação para a área da saúde: ensino, gestão, atenção e controle social. Cad Saúde Pública. 2004; 14(1): 41-65.

Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ. Chamada de Seleção Pública n° 1/2011 – RENASF/MPFS Mestrado Profissional em Saúde da Família. Fortaleza: Fudação Oswaldo Cruz; 2011.

Publicado
2012-06-30
Como Citar
Fiúza, T. M., Ribeiro, M. T. A. M., Gomes, K. W. L., Pequeno, M. L., Barreto, I. C. de H. C., Miranda, A. S. de, Oliveira, P. R. S. de, & Montenegro Junior, R. M. (2012). Necessidades educacionais dos profissionais da Estratégia Saúde da Família (ESF): possibilidades de Educação em Saúde no município de Fortaleza (CE). Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 7(24), 139-146. https://doi.org/10.5712/rbmfc7(24)186
Seção
Artigos de Pesquisa