Impacto do Programa Mais Médicos nas internações por condições sensíveis na Atenção Primária

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc17(44)3215

Palavras-chave:

Hospitalização, Consórcios de saúde, Atenção primária à saúde.

Resumo

Introdução: No Brasil, um dos principais desafios que a Estratégia Saúde da Família (ESF) tem enfrentado é a alta rotatividade de profissionais, principalmente médicos de família e comunidade. Assim, o Programa Mais Médicos (PMM) surgiu para suprir a carência de profissionais médicos nas regiões brasileiras, garantindo assistência de qualidade na Atenção Primária à Saúde (APS). Objetivo: Analisar a efetividade do Programa Mais Médicos no Brasil com base nas internações por condições sensíveis à Atenção Primária (ICSAP) antes e depois da implementação. Métodos: Estudo ecológico de séries temporais, com dados dos anos de 2010 a 2016 — período de três anos antes e depois da implantação do PMM no sudoeste de Goiás — extraídos do Sistema de Informações Hospitalares. A tabulação dos dados foi realizada pelo TabWin3.2, e posteriormente eles foram analisados no programa Stata 15.0, com análise da tendência por meio da regressão linear. Resultados: A taxa média de internação foi estatisticamente maior que a taxa média de ICSAP (p<0,001). A taxa média de ICSAP nos homens foi estatisticamente maior que a taxa média de ICSAP (p<0,05). Verificou-se redução da taxa de incidência global de ICSAP (p<0,001) após a implantação do PMM (p<0,001). Conclusões: Os resultados deste estudo sugerem que a inclusão de médicos nos serviços de APS após a implantação do PMM contribuiu para o acesso aos serviços de saúde, ao mostrar tendência de redução das ICSAP mais significativas em decorrência das ações do Programa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Adenísio Vicente Martins, Universidade Federal de Goiás – Goiânia (GO), Brasil.

Graduação em Enfermagem, Universidade Federal de Goiás (UFG) Regional Jataí – GO, Brasil.

Ludmila Grego Maia, Universidade Federal de Goiás – Goiânia (GO), Brasil.

Enfermeira, Doutora, Professora do Curso de Enfermagem, Universidade Federal de Goiás (UFG) – Regional Jataí - Jataí – GO, Brasil.

Priscila Nunes Pereira, Universidade Federal de Goiás – Goiânia (GO), Brasil.

Graduação em Fisioterapia, Universidade Federal de Goiás (UFG) Regional Jataí – GO, Brasil.

Luiz Almeida da Silva, Universidade Federal de Catalão – Catalão (GO), Brasil.

Enfermeiro, Doutor, Professor do curso de Enfermagem, Departamento de Enfermagem Universidade Federal de Catalão, Catalão, Goiás, Brasil.

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria no 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União 2017; 21 set. [Internet]. 2017 [acessado em 20 jan. 2022]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html

Kemper ES, Mendonça AVM, Sousa MF. Programa Mais Médicos: panorama da produção científica. Ciênc Saúde Colet 2016;21(9):2785-96. https://doi.org/10.1590/1413-81232015219.17842016 DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232015219.17842016

Ney MS, Rodrigues PHA. Fatores críticos para a fixação do médico na Estratégia de Saúde da Família. Physis Revista de Saúde Coletiva 2012;22(4):1293-311. https://doi.org/10.1590/S0103-73312012000400003 DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-73312012000400003

Medeiros CRG, Junqueira AGW, Schwingel G, Carreno I, Jungles LAP, Saldanha OMFL. A rotatividade de enfermeiros e médicos : um impasse na implementação da Estratégia de Saúde da Família. Ciên Saúde Coletiva 2010;15(Supl. 1):1521-31. https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000700064 DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000700064

Storti MMT, Oliveira FP, Xavier AL. A expansão de vagas de residência de Medicina de Família e Comunidade por municípios e o Programa Mais Médicos. Interface Comunicação, Saúde, Educação 2017;21(Supl. 1):1301–13. https://doi.org/10.1590/1807-57622016.0511 DOI: https://doi.org/10.1590/1807-57622016.0511

Gonçalves Junior O, Gava GB, Silva MS. Programa Mais Médicos, aperfeiçoando o SUS e democratizando a saúde: um balanço analítico do programa. Saude Soc 2017;26(4):872-87. https://doi.org/10.1590/S0104-12902017170224 DOI: https://doi.org/10.1590/s0104-12902017170224

Brasil. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei no 12.871, de 22 de outubro de 2013. Institui o Programa Mais Médicos, altera as Leis no 8.745, de 9 de dezembro de 1993 e no 6.932, de 7 de julho de 1981, e dá outras providências. Diário Oficial da União 2013; 22 out. [Internet]. 2017 [acessado em 20 jan. 2022]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12871.htm

Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades. Rio de Janeiro: IBGE; 2016 [Internet]. 2016 [acessado em 25 abr 2017]. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/uf.php?coduf=52

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Portaria no 221, de 17 de abril de 2008. Publicar e definir que a Lista Brasileira de Internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária será utilizada como instrumento de avaliação da Atenção Primária e/ou da utilização da atenção hospitalar, podendo ser aplicada para avaliar o desempenho do sistema de saúde nos âmbitos Nacional, Estadual e Municipal. Diário Oficial da União 2008; 17 abr.[Internet]. 2008 [acessado em 20 jan. 2022]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/sas/2008/prt0221_17_04_2008.html

Alfradique ME, Bonolo PF, Dourado I, Lima-Costa MF, Macinko J, Mendonça CS, et al. Internações por condições sensíveis à atenção primária: a construção da lista brasileira como ferramenta para medir o desempenho do sistema de saúde (Projeto ICSAP – Brasil). Cad Saúde Pública 2009;25(6):1337-49. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2009000600016 DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2009000600016

Gonçalves RF, Sousa IMC, Tanaka OY, Santos CR, Brito-Silva K, Santos LX, et al. Programa Mais Médicos no Nordeste: avaliação das internações por condições sensíveis à Atenção Primária à Saúde. Ciênc Saúde Colet 2016;21(9):2815-24. https://doi.org/10.1590/1413-81232015219.15392016 DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232015219.15392016

Antunes JLF, Cardoso MRA. Uso da análise de séries temporais em estudos epidemiológicos. Epidemiol Serv Saúde 2015;24(3):565-76. https://doi.org/10.5123/S1679-49742015000300024 DOI: https://doi.org/10.5123/S1679-49742015000300024

Carneiro VB, Oliveira PTR, Bastos MSCB, Alvarenga EC. Avaliação da mortalidade e internações por condição sensível à Atenção Primária em menores de 5 anos, antes e durante o Programa Mais Médicos, no Marajó-Pará-Brasil. Saúde em Redes 2016;2(4):360-71. https://doi.org/10.18310/2446-4813.2016v2n4p360-371 DOI: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2016v2n4p360-371

Alencar APA, Xavier S, Laurentino PAS, Lira PF, Nascimento VB, Carneiro Júnior N, et al. Impacto do Programa Mais Médicos na Atenção Básica de um município do Sertão Central Nordestino. Revista Eletrônica Gestão e Sociedade 2016;10(26):1290-301. https://doi.org/ 10.21171/ges.v10i26.2085 DOI: https://doi.org/10.21171/ges.v10i26.2085

Boing AF, Vicenzi RB, Magajewski F, Boing AC, Moretti-Pires RO, Peres KG, et al. Reduction of ambulatory care sensitive conditions in Brazil between 1998 and 2009. Rev Saúde Pública 2012;46(2):359-66. https://doi.org/10.1590/S0034-89102012005000011 DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-89102012005000011

Ceccon RF, Meneghel SN, Viecili PRN. Hospitalization due to conditions sensitive to primary care and expansion of the Family Health Program in Brazil: an ecological study. Rev Bras Epidemiol 2014;17(4):968-77. https://doi.org/10.1590/1809-4503201400040014 DOI: https://doi.org/10.1590/1809-4503201400040014

Dias HSA, Lima LD, Teixeira M. A trajetória da política nacional de reorientação da formação profissional em saúde no SUS. Ciên Saúde Coletiva 2013;18(6):1613-24. https://doi.org/10.1590/S1413-81232013000600013 DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232013000600013

Publicado

2022-11-05

Como Citar

1.
Martins AV, Maia LG, Pereira PN, Santos SVM dos, Silva LA da. Impacto do Programa Mais Médicos nas internações por condições sensíveis na Atenção Primária. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 5º de novembro de 2022 [citado 9º de dezembro de 2022];17(44):3215. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/3215

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa

Plaudit