Formação em preceptoria

percepções e experiências de participantes de curso de especialização na modalidade a distância

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc17(44)3438

Palavras-chave:

Medicina de Família e Comunidade, Educação a Distância, Preceptoria, Internato e Residência, Educação médica.

Resumo

Os programas de formação pedagógica representam importantes estratégias de qualificação de médicos que atuam ou desejam atuar como preceptores e/ou docentes. Nesse sentido, emerge o Curso de Especialização em Preceptoria em Medicina de Família e Comunidade da Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde/Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UNA-SUS/UFCSPA), com o intuito de promover a formação de preceptores para a especialidade, ainda durante a residência médica. Objetivo: Analisar o perfil demográfico dos participantes do Curso de Especialização em Preceptoria, assim como seu desempenho, percepções, benefícios e dificuldades durante as atividades do curso. Métodos: Estudo descritivo, observacional e quantitativo, conduzido em duas etapas: Mapeamento Populacional (Etapa 1), realizada por meio do levantamento de dados cadastrais na Secretaria Acadêmica da UNA-SUS/UFCPA; e Questionário Estruturado (Etapa 2), executada com a aplicação de questionário em plataforma digital. A pesquisa incluiu variáveis como turma do curso, status acadêmico, gênero, idade, estado e cidade de origem dos participantes, além das percepções, benefícios e dificuldades durante a realização do curso. As percepções acerca deste foram analisadas por meio de versão adaptada da ferramenta Constructivist On-Line Learning Environment Survey (Colles). Resultados: Na etapa Mapeamento Populacional, foram identificados 2.530 alunos e egressos nas três edições do Curso de Especialização em Preceptoria, com predomínio de participantes do gênero feminino (65,4%) e da Região Sudeste (48,9%). A etapa “questionário estruturado” foi constituída por 232 participantes, representando 9,17% do total de alunos e egressos do curso. Acerca aos benefícios da especialização, a maioria expressiva dos participantes destacou a “oportunidade de capacitação em educação médica/preceptoria” (95,2%) e o “incentivo financeiro do Ministério da Saúde” (91,3%). Por outro lado, a respeito das dificuldades, os “cronogramas e prazos de entrega de atividades” (33,1%) e “dificuldades com o feedback dos tutores e suporte pedagógico” (21,9%) despontam como importantes empecilhos para as atividades do curso. Conclusões: O Curso de Especialização em Preceptoria mostrou-se uma iniciativa ambiciosa e notável, alcançando milhares de médicos residentes da especialidade em distintos locais do país. Embora algumas de suas estratégias e ferramentas necessitem ser aprimoradas, a percepção geral dos alunos e egressos manifestou-se positiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Jesus JCM, Ribeiro VMB. Uma avaliação do processo de formação pedagógica de preceptores do internato médico. Rev Bras Educ Med 2012;36(2):153-61. https://doi.org/10.1590/S0100-55022012000400002 DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-55022012000400002

Silva EMM, Tourinho FSV, Girondi JBR, Sebold LF, Diniz Junior J, Barbosa JG, et al. Curso EAD de preceptoria em ensino na saúde: uma experiência exitosa. J Bras Tele 2016;4(2):261-7.

Yardley S, Teunissen PW, Dornan T. Experiential learning: AMEE Guide No. 63. Med Teach 2012;34(2):e102-15. https://doi.org/10.3109/0142159X.2012.650741 DOI: https://doi.org/10.3109/0142159X.2012.650741

Gusso G, Falk JW, Lopes JMC. Medicina de família e comunidade como especialidade médica e profissão. In: Gusso G, Lopes JMC, Dias LC, eds. Tratado de medicina de família e comunidade: princípios, formação e prática. 2a Rio de Janeiro: Artmed; 2018. p. 11-8.

Costa NMSC. Docência no ensino médico : por que é tão difícil mudar? Rev Bras Educ Med 2007;31(1):21-30. https://doi.org/10.1590/S0100-55022007000100004 DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-55022007000100004

Treviso P, Costa BEP. Percepção de profissionais da àrea da saúde sobre a formação em sua atividade docente. Texto Contexto Enferm 2017;26(1):e2020015. https://doi.org/10.1590/0104-07072017005020015 DOI: https://doi.org/10.1590/0104-07072017005020015

Barreto NAP, Xavier AREO, Sonzogno MC. Percepção de tutores quanto a sua avaliação pelos discentes de um curso médico. Rev Bras Educ Med. janeiro de 2018;42(1):54-64. https://doi.org/10.1590/1981-52712015v42n1RB20160026 DOI: https://doi.org/10.1590/1981-52712015v42n1rb20160026

Dent JA, Harden RM. A practical guide for medical teachers. 4th ed. Philadelphia: Churchill Livingstone; 2013.

Izecksohn MMV, Teixeira Junior JE, Stelet BP, Jantsch AG. Preceptoria em medicina de família e comunidade: desafios e realizações em uma atenção primária à saúde em construção. Ciênc Saúde Coletiva. 2017;22(3):737-46. https://doi.org/10.1590/1413-81232017223.332372016 DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232017223.332372016

Fernandes CLC, Lopes JMC, Curra LCD, Mattos LFC. Oficina para capacitar preceptores em medicina de família e comunidade: uma estratégia para qualificar a formação em MFC e a assistência em APS. Rev Bras Med Família e Comunidade 2007;3(11):173-9. https://doi.org/10.5712/rbmfc3(11)335 DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc3(11)335

Castro VS, Nóbrega-Therrien SM. Residência de medicina de família e comunidade: uma estratégia de qualificação. Rev Bras Educ Med 2009;33(2):211-20. https://doi.org/10.1590/S0100-55022009000200008 DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-55022009000200008

Fonsêca GS. Especialização em preceptoria no Sistema Único de Saúde. Rev Docência Ens Sup 2019;9:1-14. https://doi.org/10.35699/2237-5864.2019.2588 DOI: https://doi.org/10.35699/2237-5864.2019.2588

Rosas JBM, Lopes Junior A, Moreira JV, Afonso MPD, Sarno MM, Borret RHES, et al. Recomendações para a qualidade dos Programas de Residência de Medicina de Família e Comunidade no Brasil. Rev Bras Med Fam Comunidade 2020;15(42):2509. https://doi.org/10.5712/rbmfc15(42)2509 DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc15(42)2509

Storti MMT, Oliveira FP, Xavier AL. A expansão de vagas de residência de Medicina de Família e Comunidade por municípios e o Programa Mais Médicos. Interface Comunicação Saúde, Educação 2017;21(Supl 1):1301-13. https://doi.org/10.1590/1807-57622016.0511 DOI: https://doi.org/10.1590/1807-57622016.0511

Sarti TD, Fontenelle LF, Gusso GDF. Panorama da expansão dos programas de Residência Médica em Medicina de Família e Comunidade no Brasil: desafios para sua consolidação. Rev Bras Med Fam Comunidade 2018;13(40):1-5. https://doi.org/10.5712/rbmfc13(40)1744 DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc13(40)1744

Barreiros BC, Diercks MS, Biffi M, Fajardo AP. Estratégias didáticas ativas de ensino-aprendizagem para Preceptores de Medicina de Família e Comunidade no EURACT. Rev Bras Educ Med 2020;44(3):e102. https://doi.org/10.1590/1981-5271v44.3-20190328 DOI: https://doi.org/10.1590/1981-5271v44.3-20190328

Formação de Gestores e Preceptores de Programas de Residência Médica 2. Hospital Sírio-Libanês [Internet]. 2022 [acessado em 25 fev. 2022]. Disponível em: https://iep.hospitalsiriolibanes.org.br/cursos/atualizacao/formacao-de-gestores-e-preceptores-de-programas-de-residencia-medica-2

Hospital Alemão Osvaldo Cruz. Preceptoria em RM. Capacitação em Preceptoria de Residência Médica. Hospital Alemão Osvaldo Cruz [Internet]. 2022 [acessado em 25 fev. 2022]. Disponível em: https://hospitais.proadi-sus.org.br/projeto/capacitacao-em-preceptoria-de-residencia-medica1

Manual do aluno. Especialização de Preceptoria em Medicina de Família e Comunidade. Porto Alegre: UNA-SUS/UFCSPA; 2018.

Brasil. UNA-SUS. Preceptoria de Medicina de Familia e Comunidade. UNA-SUS [Internet]. 2020 [acessado em 6 mai. 2021]. Disponível em: https://www.unasus.gov.br/cursos/curso/44572

Campos GWS, Pereira Júnior N. A Atenção Primária e o Programa Mais Médicos do Sistema Único de Saúde: conquistas e limites. Ciênc Saude Colet 2016;21(9):2655-63. https://doi.org/10.1590/1413-81232015219.18922016 DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232015219.18922016

Cunha-Araújo IMZ, Salazar-Silva JR, D’Assunção FLC, Melo ÂBP. Avaliação da percepção dos alunos da disciplina de endodontia sobre o uso do ambiente virtual de aprendizagem (Moodle). Uso do questionário de auto-avaliação COLLES. Rev ABENO 2014;12(2):163-9. https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v12i2.119 DOI: https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v12i2.119

Cassundé FR, Silva EG, Santos LS, Souza AHS, Souza GSG, Cirilo TSP. Avaliação social construtivista de uma experiência em EaD: o uso do Colles como instrumento de coleta de dados. EaD en Foco 2016;6(2):46-60. https://doi.org/10.18264/eadf.v6i2.339 DOI: https://doi.org/10.18264/eadf.v6i2.339

Santos CM, Bulgarelli PT, Frichembruder K, Colvara BC, Hugo FN. Avaliação da qualidade de aprendizagem no ambiente virtual (Moodle) em saúde bucal, na perspectiva dos discentes. Rev da ABENO 2018;18(1):116-23. https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v18i1.433 DOI: https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v18i1.433

Taylor PC, Maor D. Assessing the efficacy of online teaching with the constructivist online learning environment Survey. In: 9th Annual Teaching Learning Forum, 2-4 February 2000. Bentley: Curtin University of Technology; 2000. Disponível em: https://researchrepository.murdoch.edu.au/id/eprint/8750/

Brasil. UNA-SUS. Conheça a UNA-SUS [Internet]. 2021 [acessado em 6 jun 2021]. Disponível em: https://www.unasus.gov.br/institucional/unasus

Oliveira FP, Araújo CA, Torres OM, Figueiredo AM, Souza PA, Oliveira FA, et al. O Programa Mais Médicos e o reordenamento da formação da residência médica com enfoque na Medicina de Família e Comunidade. Interface (Botucatu) 2019;23(Supl 1):e180008. https://doi.org/10.1590/Interface.180008 DOI: https://doi.org/10.1590/interface.180008

Dahmer A, Portella FF, Tubelo RA, Mattos LB, Gomes MQ, Costa MR, et al. Regionalização dos conteúdos de um curso de especialização em Saúde da Família, a distância: experiência da Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (UNA-SUS/UFCSPA) em Porto Alegre, Brasil. Interface Comunicação Saúde, Educação 2017;21(61):449-63. https://doi.org/10.1590/1807-57622016.0323 DOI: https://doi.org/10.1590/1807-57622016.0323

Bollela VR, Castro M. Avaliação de programas educacionais nas profissões da saúde: conceitos básicos. Medicina (Ribeirao Preto) 2014;47(3):333-42. https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v47i3p333-342 DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v47i3p333-342

Wander B, Gomes MQ, Pinto MEB. Avaliação da interação em fóruns de discussão na especialização de preceptoria em Medicina de Família e Comunidade a distância. Interface Comunicação Saúde, Educação 2020;24(Supl 1):e190513. https://doi.org/10.1590/Interface.190513 DOI: https://doi.org/10.1590/interface.190513

Castro Filho JA, Motta LB. Avaliação em EaD: estudo de caso do curso de especialização em saúde da pessoa idosa da UnASUS/UERJ. Rev Bras Geriatr Gerontol 2018;21(5):531-41. https://dx.doi.org/10.1590/1981-22562018021.180021 DOI: https://doi.org/10.1590/1981-22562018021.180021

Granville ML. Uma análise sobre os alunos do Curso de Especialização em Saúde da Família da UNA-SUS [dissertação de mestrado]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2017.

Tarcia RML, Gonçalves DA, Pacheco FV, Akiyama MS, Furtado NG. Construção coletiva e multiprofissional do Curso de Especialização em Saúde da Família: o desafio da EaD no contexto da UNA-SUS/UNIFESP em São Paulo. In: Gomes CMG, Siebra AS, Borba VR, Menezes Júnior JV, Oliveira CAP, Nascimento EM, et al., organizadores. Relatos de uso de tecnologias educacionais na educação permanente de profissionais de saúde no Sistema Universidade Aberta do SUS. Recife: Editora Universitária da UFPE; 2014. p. 264-89.

Lemos AF, Campos FE, Brito PQ, Nascimento EN, Oliveira VA. O desafio da oferta de cursos de especialização em Atenção Básica da Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde aos Profissionais dos Programas de Provimento. Rev Bras Educ Med 2019;43(1):136-46. https://doi.org/10.1590/1981-52712015v43n1RB20180087 DOI: https://doi.org/10.1590/1981-52712015v43n1rb20180087

Marin MJS, Nascimento EN, Tonhom SFR, Alves SBAD, Girotto MA, Otani MAP, et al. Formação na modalidade a distância pela Universidade Aberta do SUS: estudo qualitativo sobre o impacto do curso na prática profissional. Rev Bras Educ Med 2017;41(2):201-9. https://doi.org/10.1590/1981-52712015v41n2RB20160003 DOI: https://doi.org/10.1590/1981-52712015v41n2rb20160003

Thumé E, Wachs LS, Soares MU, Cubas MR, Fassa MEG, Tomasi E, et al. Reflexões dos médicos sobre o processo pessoal de aprendizagem e os significados da especialização à distância em saúde da família. Ciênc Saúde Coletiva 2016;21(9):2807-14. https://doi.org/10.1590/1413-81232015219.14632016 DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232015219.14632016

Mattos LB, Dahmer A, Magalhães CR. Contribuição do curso de especialização em Atenção Primária à Saúde à prática de profissionais da saúde. ABCS Health Sci 2015;40(3):184-9. https://dx.doi.org/10.7322/abcshs.v40i3.793 DOI: https://doi.org/10.7322/abcshs.v40i3.793

Publicado

2022-12-23

Como Citar

1.
Ferreira IG, Cazella SC, Costa MR da. Formação em preceptoria: percepções e experiências de participantes de curso de especialização na modalidade a distância. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 23º de dezembro de 2022 [citado 29º de janeiro de 2023];17(44):3438. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/3438

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa

Plaudit