Iniciação científica com pesquisas qualitativas: relato da experiência de um grupo de professores e alunos de Medicina

Bruno José Barcellos Fontanella, Débora Gusmão Melo, Carla Maria Ramos Germano, Bianca Mayumi Watanabe, César Seiji Setoue, Débora Bonato, Fernanda Rodrigues da Silva, José Eduardo Vitorino Galon, Karina Nogueira Dias Secco, Mariana Bueno da Silva San Felice, Taysa Moreira

Resumo


Objetivou-se relatar e discutir as experiências de um grupo de professores e alunos de graduação de Medicina sobre os estágios de iniciação científica, realizados por meio de projetos de pesquisa com métodos qualitativos, parte deles tendo a Atenção Primária à Saúde como campo de pesquisa. Contextualizando o relato, acentuou-se a história relativamente recente da iniciação científica no Brasil e, em nível mundial, a também recente utilização em mais ampla escala dos métodos qualitativos em saúde. O relato de experiência se estruturou a partir do fluxograma do processo de trabalho seguido pelos estágios de iniciação científica. Destacou-se ter havido uma relativa autonomia dos estudantes em relação à coleta de dados, mas, por outro lado, maior dependência em relação aos seus orientadores no momento de analisar e interpretar os achados. Por meio desses estágios, acredita-se que se valoriza a rede de significados presentes no processo saúde-doença-cuidado, em particular na Atenção Primária à Saúde, considerando que uma progressiva compreensão científica desse processo complexo ajuda a aperfeiçoar uma prática médica atenta às plenas necessidades de pacientes e comunidades.


Palavras-chave


Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico; Educação Médica; Pesquisa Qualitativa; Atenção Primária à Saúde

Texto completo:

PDF

Referências


Tenório MDP, Beraldi G. Iniciação científica no Brasil e nos cursos de medicina. Rev Assoc Med Bras. 2010; 56(4): 390-3. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302010000400007

Ministério da Educação. Instituto Nacional de Pesquisas e Estudos Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Informativo do Inep. 2005; 3(98) [online] [capturado em 2011 Set 19]. Disponível em: http://www.inep.gov.br/informativo/informativo98.htm

Oliveira NAD, Alves LA, Luz MR. Iniciação científica na graduação: o que diz o estudante de medicina? Rev Bras Educ Med. 2008; 32(3): 309-14. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022008000300005

Cardoso GP, Silva Junior CTD, Carvalho Netto ALDC, Touça ADS, Brigido DC, Mattos ACMTD, et al. Visão geral de um Programa de Iniciação Científica em medicina: experiência do Curso de Medicina da Universidade Federal Fluminense. Pulmão RJ. 2004; 13(3): 174-81.

Cardoso GP, Silva Junior CTD, Martinho J, Cyrillo R. Iniciação científica em medicina: uma questão de interesse para todas as especialidades. Pulmão RJ. 2004; 13(1): 8-12.

Jacobs CD, Cross PC. The value of medical student research: the experience at Stanford University School of Medicine. Med Educ. 1995; 29(5): 342-6. http://dx.doi.org/10.1111/j.1365-2923.1995.tb00023.x

Montes G. Da importância de uma disciplina de iniciação científica ao currículo nuclear na graduação em medicina na USP. Rev Bras Cardiol. 2000; 2(2): 70-7.

Crasto M, Neves D, Pires M, Nascimento L, Vieira L, Serafim E. O ensino de iniciação científica de graduação em medicina. Pulmão RJ. 2007; 16(1): 12-6.

Hydén L. Illness and narrative. Sociol Health Illn. 1997; 19(1): 48-69. http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1467-9566.1997.tb00015.x/pdf

Bury M. Illness narratives: fact or fiction? Sociol Health Illn. 2001; 23(3): 263-85. http://dx.doi.org/10.1111/1467-9566.00252

Minayo MCDS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12ª ed. São Paulo: Hucitec; 2010. 408p.

Fontanella BJB, Luchesi BM, Saidel MGB, Ricas J, Turato ER, Melo DG. Amostragem em pesquisas qualitativas: proposta de procedimentos para constatar saturação teórica. Cad Saúde Pública. 2010; 27(2): 388-94. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2011000200020

Pires AP. Amostragem e pesquisa qualitativa: ensaio teórico e metodológico. In: Vários autores, organizador. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes; 2008. p. 154-211.




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc6(21)411

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade



 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia