O trabalho em equipe desenvolvido pelo cirurgião-dentista na Estratégia Saúde da Família: expectativas, desafios e precariedades

  • Rossana Mota Costa Universidade federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
  • Antonio Medeiros Junior Universidade federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
  • Íris do Céu do Céu Clara Costa Universidade federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
  • Isauremi Vieira de Assunção Pinheiro Universidade federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
Palavras-chave: Programa Saúde da Família, Condições de Trabalho, Odontologia do Trabalho

Resumo

Este estudo objetivou conhecer a integração do cirurgião-dentista (CD) com os demais profissionais pertencentes à Estratégia Saúde da Família (ESF), bem como identificar o seu processo de trabalho dentro dessa equipe. O estudo desenvolveu-se no município de Parnamirim-RN, e dele participaram todos os CDs que atuam na ESF do município, num total de 30 profissionais. O Instrumento de coleta de dados utilizado foi um questionário semiestruturado e a variável dependente foi o trabalho em equipe. Os dados foram analisados por meio da estatística descritiva (distribuições absolutas e percentuais). Observou-se que os CDs não participam de forma integrada na equipe. A articulação das ações entre os membros da equipe não acontece de forma habitual e sistemática, como parte integrante de seu processo de trabalho (56,7%). Os profissionais de maneira geral mostraram-se insatisfeitos no desempenho de suas funções (63,3%). Sugere-se uma reflexão no tocante ao desenvolvimento do processo de trabalho em equipe com a participação efetiva do CD.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Rossana Mota Costa, Universidade federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Faculdade de Odontologia da Universidade federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Departamento de Odontologia Preventiva e Social.

Mestre em Odontologia Preventiva e Social.

Antonio Medeiros Junior, Universidade federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Professor Doutor do Departamento de Saúde Coletiva/NESC - UFRN.

 

Íris do Céu do Céu Clara Costa, Universidade federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Professora Doutora do Departamento de Saúde Coletiva/NESC - UFRN.

Isauremi Vieira de Assunção Pinheiro, Universidade federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Professora Doutora do Departamento de Saúde Coletiva/NESC - UFRN.

Referências

Merhy EE, Franco TB. Por uma composição técnica do trabalho em saúde centrado no campo relacional e nas tecnologias leves. Apontando mudanças para os modelos tecno-assistenciais. Saúde debate. 2003; 27(65): 316-323.

Brasil. Secretaria de Assistência à Saúde. Coordenação de Saúde da Comunidade. Saúde da Família: uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial. Brasília: Ministério da Saúde, 1997.

Peduzzi M. Equipe multiprofissional de saúde: conceito e tipologia. Rev Saúde Públ. 2001; 35(1): 103-9. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102001000100016

Araújo MBS, Rocha PM. Trabalho em equipe: um desafio para a consolidação da Estratégia de Saúde da Família. Ciênc Saúde Coletiva. 2007; 12(2): 455-464. PMid:17695079.

Souza TMS. A incorporação da Saúde Bucal no Programa Saúde da Família no Rio Grande do Norte: investigando a possibilidade de conversão do modelo assistencial. [Dissertação]. Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2005.

Franco T, Merhy E. PSF: Contradições e novos desafios. Conferência Nacional de Saúde. [online] [acesso em 2008 Fev 05]. Disponível em: http://www.datasus.gov.br/cns/cns.htm

Werneck MAF, Ferreira RC. Tecnologia em saúde bucal. In: Pinto VG, organizador. Saúde Bucal Coletiva. São Paulo: Santos; 2000. p. 277-286.

Pires D. Reestruturação produtiva e conseqüências para o trabalho em saúde. Rev Bras Enferm. 2000; 53(5): 251-63. PMid:12138828.

Mattos RA. Em busca de novos projetos coletivos. Ciênc Saúde Coletiva. 1999; 4(2): 250-2.

Vilarinho SMM, Mendes RF, Prado Júnior RR. Perfil dos cirurgiões-dentistas Integrantes do Programa Saúde da Família em Teresina (PI). Rev Odonto Ciênc. 2007; 22(55): 48-54.

Cotta RMM. Organização do trabalho e perfil dos profissionais do Programa Saúde da Família: um desafio na reestruturação da atenção básica em saúde. Epidemiol Serv Saúde. 2006; 15(3): 7-18.

Araújo YP, Dimenstein M. Estrutura e organização do trabalho do cirurgião-dentista no PSF de municípios do Rio Grande do Norte. Ciênc Saúde Coletiva. 2006; 11(1): 219-27. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232006000100031

Facó EF, Viana LMO, Bastos VA, Nuto SAS. O Cirurgião-Dentista e o programa saúde da família na microrregião II, Ceará, Brasil. Rev Bras Promoção Saúde 2005; 18(2): 70-77.

Rodrigues MP, Araújo MSSA. O processo de trabalho em saúde da família.[online].[acesso em 2008 Mai 02]. Disponível em: www.observatório.nesc.ufrn.br

Volschan BCG, Soares EL, Corvino M. Perfil do profissional de saúde da família. Rev Bras Odontol. 2002; 59(5): 314-6.

Carvalho CL, Girardi SB. Agentes institucionais e modalidades de contratação de pessoal no Programa Saúde da Família no Brasil. Belo Horizonte: Núcleo de Pesquisa em Saúde Coletiva, Universidade Federal de Minas Gerais, 2002.

Moysés SJ, Silveira Filho AD. Saúde Bucal da Família: quando o corpo ganha uma boca. In: Moysés SJ, Silveira Filho, AD, Ducci L, editores. Os dizeres da boca em Curitiba: Boca Maldita, Boqueirão, Bocas saudáveis. Rio de janeiro: CEBES; 2002.

Publicado
2012-07-03
Como Citar
Costa, R. M., Junior, A. M., Costa, Íris do C. do C. C., & Pinheiro, I. V. de A. (2012). O trabalho em equipe desenvolvido pelo cirurgião-dentista na Estratégia Saúde da Família: expectativas, desafios e precariedades. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 7(24), 147-163. https://doi.org/10.5712/rbmfc7(24)434
Seção
Artigos de Pesquisa