A pessoa como centro do cuidado na prática do médico de família

José Mauro Ceratti Lopes, Jorge Alberto Rosa Ribeiro

Resumo


Objetivo: uma atuação centrada na pessoa é considerada essencial para o médico de família e comunidade considerando-se as mudanças ocorridas na sociedade nos séculos XIX e XX. Este artigo apresenta um estudo de caso, cujo objetivo foi identificar se os componentes que caracterizam inequivocamente o Método de Abordagem Clínica Centrada na Pessoa (MCCP) estão presentes na prática do médico de família. Métodos: os dados foram coletados por meio de entrevistas com médicos de família e com pessoas por eles atendidas, sendo os depoimentos gravados, transcritos e analisados com base no Discurso do Sujeito Coletivo. Resultados: identificaram-se aspectos comuns ou contraditórios nos discursos de pessoas e médicos sobre a aplicação da Abordagem Centrada na Pessoa. Conclusão: ainda não existe por parte dos médicos de família um conhecimento adequado sobre significado e aplicação de uma Abordagem Clínica Centrada na Pessoa.


Palavras-chave


Medicina de Família e Comunidade; Assistência Centrada no Paciente; Relações Médico-Paciente

Texto completo:

PDF/A

Referências


Cassel EJ. The nature of suffering and the goals of medicine. N Engl J Med. 1982;306:639-645. http://dx.doi.org/10.1056/NEJM198203183061104

Stewart M. Patiente-centered medicine: transforming the clinical method. 2a ed. Abingdon, United Kingdon: Redcliffe Medical; 2003.

Little P. Observational study of effect of patient centredness and positive approach on outcomes of general practice consultations. BMJ. 2001;323(908-911). http://dx.doi.org/10.1136/bmj.323.7318.908

Rakel RE. Essentials of family practice. 2a ed. Philadelphia: Saunders; 1998.

McWhinney IR. A textebook of family medicine. 2a ed. New York: Oxford University Press; 1997.

Lopes JMC. A pessoa como centro do cuidado: a abordagem centrada na pessoa no processo de produção do cuidado médico em Serviço de Atenção Primária à Saúde, 2005 [dissertação]. Rio Grande do Sul: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2005. Portuguese. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/5873

Lefèvre F, Lefèvre AMC. Discurso do sujeito coletivo: um novo enfoque em pesquisa qualitativa (Desdobramentos). Caxias do Sul, RS: EDUCS; 2003.

Boff L. Saber cuidar, ética do humano: compaixão pela terra. 9a ed. Petrópolis: Vozes; 2003.

Starfield B. Atenção primária equilíbrio entre as necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO, Ministério da Saúde; 2004.

Murray M, Berwick DM. Advanced access: reducing waiting and delays in primary care. Rev. JAMA. 2003;289(8):1035-40. http://dx.doi.org/10.1001/jama.289.8.1035

Wollmann A, Ros C, Lowen IMV, et al. Novas possibilidades de organizar o acesso e a agenda na Atenção Primária à Saúde. Curitiba: Prefeitura Municipal de Curitiba. Disponível em: http://www.saude.curitiba.pr.gov.br/images/cartilha%20acesso%20avan%C3%A7ado%2005_06_14.pdf

Chin JJ. Doctor-patient relationship: from medical paternalism to enhanced autonomy. Singapore Med J. 2002;43(3):152-155.

Clarke G, Hall RT, Rosencrance G. Physician-patient relations: no more models. Am J Bioeth. 2004;4(2):W16-W19.

http://dx.doi.org/10.1162/152651604323097934

Coulter A. After Bristol: putting patients at the centre. BMJ. 2002;324:16. http://dx.doi.org/10.1136/bmj.324.7338.648

Helman CG. Cultura, saúde e doença. 4a ed. Porto Alegre: Artmed; 2003.

Lown B. A arte perdida de curar. São Paulo: Fundação Petrópolis; 1997.

McWhinney IR. Beyond diagnosis: an approach to the integration of behavioural science and clinical medicine. NEJM. 1972;287:384-387. http://dx.doi.org/10.1056/NEJM197208242870805




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc10(34)870

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2015 José Mauro Ceratti Lopes, Jorge Alberto Rosa Ribeiro

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/br/

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia